Tudo o que você precisa saber sobre o último concurso PRF

Oriente seus estudos com base no último edital

O edital do concurso PRF 2018 ainda não divulgado. Mas os especialistas recomendam que os interessados na carreira de policial rodoviário federal comecem a preparação o quanto antes. Uma boa base para os estudos pode ser o edital anterior do concurso para PRF. Por isso, o Concursos com Trânsito fez um resumo com tudo o que você precisa saber sobre a seleção de 2013. Confira! 

Na época, a Polícia Rodoviária Federal ofereceu mil vagas, sendo 950 para ampla concorrência e 50 para pessoas com deficiência. Para se candidatar era preciso ter nível superior completo em qualquer área e carteira nacional de habilitação na categoria B. 
As remunerações eram de R$6.106,81 para jornada de trabalho de 40 horas por semana. A banca organizadora foi o Cebraspe (antigo Cespe/UnB). As inscrições ficaram abertas por apenas 13 dias. A taxa de inscrição foi de R$150. Apenas membros de famílias de baixa renda inscritos no programa CadÚnico puderam solicitar a isenção do valor. 

Confira nossa lista de cursos online preparatórios para o concurso da PRF 2018
 

Concurso PRF 2013 foi composto por diferentes etapas

O último concurso PRF foi divido em duas grandes etapas. Uma de provas e títulos e outra do curso de formação. A primeira fase foi composta por: 
1.    Provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório;
2.    Prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório;
3.    Exame de capacidade física, de caráter eliminatório;
4.    Avaliação de saúde, de caráter eliminatório;
5.    Avaliação psicológica, de caráter eliminatório;
6.    Investigação social e(ou) funcional, de caráter eliminatório;
7.    Avaliação de títulos, de caráter classificatório.
Todas as etapas foram aplicadas nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal. 

Provas objetivas 

As provas objetivas foram marcadas para exatos dois meses após a publicação do edital. Durante quatro horas e meia, os candidatos tiveram que responder a 120 questões e ainda elaborar uma redação. Foram cobradas 50 questões de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos, distribuídas da seguinte maneira:

Conhecimentos básicos:

•    Língua Portuguesa;
•    Matemática;
•    Noções do Direito Constitucional;
•    Ética no serviço público;
•    Noções de Informática. 

Conhecimentos específicos:

•    Direito Administrativo;
•    Direito Penal;
•    Direito Processual Penal;
•    Legislação Especial;
•    Direitos Humanos e Cidadania;
•    Legislação relativa ao DPRF;
•    Física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.


Como é tradição do Cebraspe, a prova foi composta por sentenças em que o concorrente teve que analisar como ‘certos’ ou ‘errados’. Um erro significou a perda da pontuação de um acerto. No total, o exame objetivo do concurso PRF teve valor máximo de 120 pontos. 

Para se classificar foi necessário ter nota superior a 10 pontos em conhecimentos básicos, 21 em conhecimentos específicos e 36 no conjunto dos exames objetivos. Dessa maneira, as disciplinas específicas tiveram maior importância na nota final dessa etapa do concurso PRF.

Provas discursivas

No mesmo dia das avaliações objetivas, os concorrentes tiveram que desenvolver um texto dissertativo com, no máximo, 30 linhas, sem exigência mínima para escrever. Somente foram corrigidas as redações de quem obteve os critérios de classificação na prova objetiva.  

O edital do último concurso PRF especifica que somente seriam corrigidos os exames discursivos dos aprovados e classificados até a 4.750ª posição na lista de ampla concorrência e 250ª na listagem de pessoas com deficiência. 
Foram avaliados elementos textuais, apresentação, desenvolvimento do texto, além de domínio da modalidade escrita. A pontuação máxima na prova objetiva foi de 20 pontos, sendo classificado o candidato que obteve, ao menos, a metade deles. 

Exames de capacidade física

Somente 4 mil candidatos foram convocados para os exames de capacidade física do concurso PRF. Essa fase teve o objetivo de averiguar a capacidade dos concorrentes para suportar, física e organicamente, as exigências da prática e atividades físicas do cargo de policial rodoviário federal. 

Para realizar os testes físicos, foi preciso apresentar atestado médio e vestir trajes adequados para prática de exercícios. Os convocados foram submetidos a:
1.    Flexão em barra fixa;
2.    Impulsão horizontal;
3.    Flexão abdominal;
4.    Corrida de 12 minutos. 

Durante o exame de capacidade física, os candidatos que atenderam as exigências dispostas no edital foram considerados ‘aptos’ e convocados para próxima etapa do concurso PRF. Quem não correspondeu aos exercícios propostas foi considerado ‘inapto’ e eliminado da seleção. 

Avaliação de títulos 

Para a avaliação de títulos foram convocados dois mil candidatos do concurso PRF, sendo 1.900 de ampla concorrência e 100 pessoas com deficiência.  Nessa etapa, os candidatos tiveram que apresentar documentos que comprovassem títulos de especialização, mestrado, doutorado, além de experiência em cargo púbico de natureza policial.

A avaliação de títulos valeu sete pontos, ainda que a soma dos valores da documentação enviada fosse superior a esse valor. 
O concurso PRF 2013 teve prazo de validade de dois anos, sendo prorrogado por igual período. Dessa forma, a Polícia Rodoviária Federal não tem mais cadastro de aprovados válido para suprir o déficit de servidores por aposentadorias, mortes e exonerações. Dessa forma, a divulgação de novo edital se faz necessário. 

A PRF já tem autorização para abrir um novo concurso. No momento, a corporação trabalha na escolha da banca organizadora da seleção. 
 


Publicado em 26/09/2018 às 11:34:57
Compartilhe com os amigos: