Concurso PRF: conheça a importância de Redação Oficial

Professora Tatiana Rodrigues explica tópicos da disciplina

O edital do novo concurso para Polícia Rodoviária Federal (PRF) trouxe diversas novidades. Uma delas foi a inclusão de Redação Oficial no conteúdo para prova de Língua Portuguesa. De acordo com a professora Tatiana Rodrigues, do ‘Concursos com Trânsito’, já era esperado que esse tópico fosse incluído. 

No edital da PRF, o assunto se apresenta como “Correspondência oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República)”. Ele diz respeito a documentos oficiais da administração pública. 
Muitos concorrentes podem desmerece-lo por estar junto com outros tópicos de Língua Portuguesa. Mas, para professora Tatiana, Redação Oficial tem muita importância e pode colaborar para subir a classificação no concurso. 
Ela explica que o grau de dificuldade para essa área não é alto. O candidato deve, basicamente, memorizar a letra de lei. “São questões fáceis de se estudar. É apenas letra de lei, uma matéria de memorização mais do que entendimento”, resume a especialista. 
Tatiana indica que os concurseiros com uma boa bagagem de Direito Administrativo, têm tendência a pegar os conteúdos de Redação Oficial de forma mais fácil. Por não serem classificadas como difíceis, a professora acredita que os concorrentes “ganham as questões dessa área de presente”.

Para professora, podem cair até sete questões de Redação Oficial

O Cebraspe (antigo Cespe/UnB), banca organizadora do concurso PRF, não informa o número de questões que serão cobradas por disciplina, nas provas objetivas. Ainda assim, a especialista em Língua Portuguesa do ‘Concursos com Trânsito’, Tatiana Rodrigues, estima que sejam cobradas de dois a sete itens. 

“Se a banca cobrar 20 questões de Português, de cinco a sete podem ser só de redação oficial. São questões que o concurseiro ganha de presente dentro da prova”, revela Tatiana. 
A boa notícia é que se o candidato compreender e memorizar bem os conteúdos de Redação Oficial, a tendência é “ganhar questões de Português e subir na classificação por isso”. 
Segundo a professora, Redação Oficial é rápido de pegar o conteúdo. Uma eficaz forma de estudo é refazer questões anteriores, dentro da banca Cespe. “É só refazer algumas questões que o concorrente vai se dar bem”, garante. 
Tatiana ainda acredita que muitas pessoas podem se surpreender com o elevado número de questões de Redação Oficial dentro da prova de Português. Dessa forma, é preciso intensificar a preparação para sair na frente na disputa pelas 500 vagas de policial rodoviário federal. “O concorrente não pode deixar isso de lado”. 

Gramática também pode ser cobrada em Redação Oficial

Vale destacar também que a parte de gramática da Língua Portuguesa pode ser cobrada dentro de Redação Oficial. A professora Tatiana explica que, muitas vezes, a banca pergunta se o trecho de um texto é um adequado para figurar um documento oficial. O candidato, então, tem que buscar erros de Português ali dentro. 

“Se tiver algum erro de Português, seja de acento, crase ou concordância, tem que marcar a questão como errada”, destaca. Assim, é possível cobrar todo conteúdo de gramática dentro de uma questão de Redação Oficial. 
A banca também pode colocar na prova apenas questões que envolvam documentos oficiais da administração pública, que são fáceis de serem memorizados.  

Lembrando que as provas do Cebraspe não apresentam cinco alternativas de resposta. Os candidatos devem julgar sentenças como ‘certas’ ou ‘erradas’. Um erro anula os pontos de um acerto.  
Como os concorrentes do concurso PRF já estão acostumados a estudar Direito e legislações específicas, Tatiana Rodrigues supõe que não há nenhuma dificuldade em se memorizar a parte de Redação Oficial. 
Ela ainda alerta: “A parte que mais cai é a parte geral em Redação Oficial”. Nas provas objetivas do concurso, marcadas para 3 de fevereiro, serão cobradas 120 questões. 

Tais itens estarão divididos em três blocos de conhecimento. São eles:
•    Bloco I – 50 questões: Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico-Matemático, Informática, Noções de Física, Ética no Serviço Público, Geopolítica Brasileira, História da PRF;
•    Bloco II – 40 questões: Legislação de Trânsito;
•    Bloco III – 30 questões: Noções de Direito Administrativo, Noções de Direito Constitucional, Legislação Especial, Direitos Humanos e Cidadania, Noções de Direito Penal e Direito Processual Penal. 

Segundo o edital da seleção, será considerado classificado na avaliação objetiva quem obtiver mais de 10 pontos no bloco I, 12 pontos no bloco II, seis pontos no bloco II e 48 pontos no conjunto.

Inscrições do concurso PRF já foram encerradas

No último dia 18 de dezembro, foram encerradas as inscrições do concurso para PRF. Os inscritos devem ficar atentos, agora, ao prazo para o pagamento das taxas de inscrição!



O valor de R$150 deve ser efetuado até o dia 15 de janeiro, em qualquer agência bancária e também nos Correios e Casas Lotéricas. Os boletos estão disponíveis para impressão pelo site do Cebraspe (antigo Cespe/UnB), banca organizadora da seleção. 
Para realizar a inscrição foi preciso ter nível superior completo em qualquer área, idade até 65 anos e Carteira Nacional de Habilitação a partir da “categoria B”. A remuneração inicial da carreira é de R$9.931,57, já incluído o auxílio-alimentação de R$458. No próximo ano, tais valores passarão a R$10.357,88 para jornada de 40 horas.    


 


Publicado em 28/12/2018 às 10:37:05
Compartilhe com os amigos: